Deixe a inteligência da Web se manifestar

James Surowiecki fala sobre o ponto de mudança das mídias sociais usando como ponto de referência a cobertura do fenômeno tsunami na esfera de blogs.

Tratar os indivíduos como canais de comunicação é difícil nas redes porque ela se sustenta por aquilo que é compartilhado por muitos, não dando tanta abertura às opniões individuais.

“Um dos fenômenos que é bem claro na blogosfera é que quando um meme, uma idéia, segue adiante, é muito fácil para as pessoas participarem, pois outras pessoas participaram, falaram e linkaram. Alguém linkou aquilo, então outra pessoa também o fará, etc, etc. E esse fenômeno, de multiplicar os links existentes é uma das características da blogosfera, particularmente da política na blogosfera, e esse é um exemplo de exceção da inteligência de descentralização, de baixo para cima, que os blogs manifestam em algumas condições.”

“Grupos só são espertos quando os participantes são independentes. É um tipo de paradoxo da sabedoria das multidões, ou o paradoxo da inteligência coletiva, que necessita de uma forma de pensamento independente. E as redes sociais fazem isso ser difícil para as pessoas, pois focam as atenções no que é importante para as redes”

Fico imaginando como essa questão se conecta com as estruturas das redes sociais e seus usos de acordo com seus espaços públicos e privados. Nas redes não entendemos cada perfil como um comunicador de novas idéias, informações e novidades, mas os espaços de perfil são o self online ao qual se desencadeiam processos jurídicos em relação à invasão de privacidade.

As políticas de regulamentação do tráfego de idéias e relacionamentos pouco se atualizou em relação ao meio online, tendo derivado-se inúmeras brigas judiciais entre empresas gigantes e pequenos desenvolvedores, como no caso das grandes gravadoras e artistas famosos contra a rede Napster.

Faz se necessária um retorno histórico que pontue as interações e desenvolvimentos dos relacionamentos dentro das redes de pontos de vistas mais diversos (tais como econômico, social, antropológico, psicológico, linguístico, matemático, estatístico, físico, filosófico e
constitucional).

Há muita ladainha e palavratório sobre direitos autorais na web e utiliza-se as redes como espaço privado para fofoquinhas, paqueras e distribuição de links divertidos. Que uso a grande maioria dos usuários faz das potencialidades dessas ferramentas?

Anúncios